Minha Esposa Muda by Mateus Carvalho Capítulo 1

Minha Esposa Muda by Mateus Carvalho Capítulo 1

Capítulo

Flavia Lopes encarava o relógio na parede, que marcava meianoite, enquanto a comida na mesa esfriava novamente

Ela levou as refeições de volta para a cozinha e as aqueceu mais uma vez

As 00h50, a porta do quarto se abriu, e ela virou a cabeça para ver Thales Duarte entrando

Ele carregava seu paletó no braço e seu rosto bonito mostrava sinais de embriaguez quando caminhou em direção a Flavia

Ela se levantou e serviulhe uma sopa para curar a ressaca, mas ele a derrubou assim que ela lhe entregou

Em seguida, ele segurou seu queixo e a beijou

O cheiro de álcool invadiu o ambiente, misturado com o perfume feminino, e Flavia tentou empurrálo sem sucesso. Ao contrário, ele a levantou e a carregou diretamente para o quarto

Ele a jogou rudemente na cama e se debruçou sobre ela, sem dizer uma palavra

Flavia mordeu o lábio, suportando silenciosamente, enquanto desviava o olhar para uma planta verde no canto da parede

Não havia amor, apenas desejo

Ele virou o rosto dela para si, seus olhos profundos fixos nela enquanto acariciava seu rosto com o dedo, Por que você não fala?” 

Flavia o encarava diretamente, seus olhos brilhando com lágrimas, ele sabia que ela não podia falar

Ela era muda

Mas ele sempre perguntava, incansavelmente

As vezes, Flavia não conseguia distinguir se ele estava tentando humilhála ou se lamentava

Ela segurou a mão em seu rosto, inclinou a cabeça, e esfregou seu rosto na palma da mão dele, como um gato buscando agradar seu dono

Era a única maneira dela corresponder a ele nesses momentos

Os olhos escuros do homem escureceram ainda mais, como se uma tempestade estivesse prestes a irromper. Ele segurou a mão dela e a levantou acima de sua cabeça, inclinandose para beijála

Quando Flavia abriu os olhos, era dia fora. A cama estava vazia, mas ela ouviu o som de água vindo do banheiro

Ela recolheu suas roupas do chão e começou a se vestir, e foi nesse momento que o celular no criadomudo tocou. Era de Thales

Flavia olhou para a silhueta borrada através da porta do banheiro e depois para a tela do celular

Rosana Coelho: Você voltou

Rosana: Você sempre faz isso, precisa mesmo ir atrás daquela muda para me irritar

Os cílios de Flavia tremeram

A porta do banheiro se abriu, e Thales saiu enrolado em uma toalha

Ele ainda estava molhado, com gotas de água pingando de seus cabelos e escorrendo pelo seu peito, seguindo o contorno de seus músculos abdominais

Flavia desviou o olhar, abaixando a cabeça para abotoar sua camisa

Thales se aproximou da cama e pegou seu celular, lançando um olhar para Flavia, que continuava vestindose

Você viu?” 

.Flavia esboçou um leve sorriso e balançou a cabeça negativamente

No dia do casamento, ele lhe disse: Você precisa ser sempre obediente, não me ame. Nós continuaremos como antes, e eu cuidarei de você pelo resto da vida” 

Ele disse para ela não amálo

Então, o que importava se ela visse

Ele não se importaria se ela ficasse com ciúmes, triste ou magoada

Quem não era valorizado, não tinha o direito de se enfurecer

Seu amor e suas emoções seriam um fardo para ele

Ela temia que ele também pisasse em seu coração

Flavia temia que elenão a quisesse mais

Ela gesticulou em Lingua Gestual: Vou preparar o café da manhã.” 

Arrastando seu corpo dolorido, Flavia levantouse e foi para a cozinha

Thales observou a silhueta frágil dela se afastar, e então olhou novamente para o celular, deletando as mensagens de Rosana

Flavia preparou o café da manhã e colocou na mesa, servindo uma tigela de mingau para Thales em seu lugar

Algum tempo depois, Thales, vestido, juntouse a ela na mesa

Estava em silêncio no quarto. Thales costumava dizer que conversar com ela era como falar consigo mesmo

Como tempo, Thales quase não falava mais com ela, e o som de suas colheres batendo nas tigelas preenchia o ambiente

Depois venha comigo até a Casa de Duarte,Thales disse de repente

Flavia parou por um momento, colocando a colher de volta na borda da tigela

Flavia Certo

Thales lançoulhe um olhar rápido. O rosto dela sempre exibia aquela expressão dócil e inalterável

Ela nunca reclamava, nunca se exaltava, sempre sorria para todos, não importava o quão grande fosse a injustiça

De repente, Thales sentiu o mingau em sua tigela perder todo o sabor

Ele jogou a colher de volta na tigela, produzindo um som nitido de colisão. O som não era alto, mas era bastante proeminente no silêncio do restaurante

Minha Esposa Muda by Mateus Carvalho

Minha Esposa Muda by Mateus Carvalho

Score 9.6
Status: Ongoing Type: Author: Artist: Released: April 23, 2024 Native Language: Portuguese

Minha Esposa Muda by Mateus Carvalho

Todos no círculo sabiam que Thales Duarte tinha um tesouro no coração, boneca de luxo. Ele gastava dinheiro como se fosse água por ela, e entrava em fúria por amor a ela e até arriscava a vida por ela. Mas as pessoas no círculo também sabiam que Thales tinha uma esposa, que era uma muda, completamente despercebida, como uma "flor de cipó" que só podia viver à sombra de Thales. Até o próprio Thales pensava assim, até que um dia, a "esposa muda" entregou-lhe um acordo de divórcio. Thales perdeu a calma.

Minha Esposa Muda by Mateus Carvalho

Comment

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Options

not work with dark mode
Reset